lactose | Descubra se Você tem Intolerância ?

Você já ouviu falar na intolerância à lactose? Esta é uma deficiência do organismo que atinge uma grande parte da população e que ainda gera muitas dúvidas.

E para ajudar a esclarecer essas dúvidas trouxemos informações e dica de um cardápio especial sobre a intolerância à lactose.

O que é a intolerância à lactose?

A intolerância à lactose é uma deficiência do organismo em produzir a enzima lactase.

A lactase é a responsável por digerir a lactose (açúcar presente no leite e derivados).

Essa enzima produzida no intestino delgado quebra a lactose em formas mais simples de açúcar.

PROPAGANDA

Essas formas são a glicose e a galactose, assim esses açúcares são mais bem absorvidos pela corrente sanguínea.

Como saber se você tem intolerância à lactose?

Uma alimentação equilibrada deve contar com todos os grupos alimentares. Assim você garante todos os nutrientes necessários para a sua saúde.

 Agora pare e pense um pouco sobre como seria o seu dia sem o tradicional café com leite, o iogurte, queijos e até aquele bolo no lanche da tarde.

Imaginou? Seria bem difícil não é mesmo?

 Então se prepare para descobrir se você está inclusa (o) no grupo das pessoas com intolerância à lactose.

 

Quais os sintomas clássicos?

Os sintomas mais comuns relacionados à intolerância à lactose são:

  • Dor abdominal;
  • Inchaço abdominal;
  • Gases;
  • Diarreia;
  • Náuseas.

Os sintomas aparecem com 30 minutos a 2 horas após o consumo de laticínios.

Mas atenção! Os sintomas da intolerância à lactose são facilmente confundidos com outros tipos de distúrbios como:

– A síndrome do intestino irritável;

– Alergia ao leite de vaca.

Por isso ao sentir os sintomas que levem você a suspeitar que tenha a intolerância o melhor a fazer é procurar ajuda médica.

Somente o médico poderá fazer um diagnóstico mais preciso baseado em exames clínicos e o estudo da sua rotina alimentar.

Médicos alertam para os riscos de cortar lactose e glúten da alimentação, assista o vídeo abaixo..

 

Qual a diferença entre intolerância e alergia ao leite de vaca?

intolerância à lactose

lactose

Essas duas doenças tem um alimento em comum como o causador dos problemas: o leite e seus derivados.

A alergia ao leite de vaca é um processo alérgico desencadeado pela presença de algumas proteínas presentes no leite.

O que ocorre nesta doença é que o sistema imunológico entende que a proteína do leite é um agente agressor.

Este processo todo desencadeia alguns sintomas desagradáveis como:

– Sangramento intestinal;

– Dor e distensão abdominal;

– Gases;

– Cólicas;

– Lesões na pele;

– Dificuldade de respirar.

A alergia ao leite de vaca ocorre de forma mais intensa nos primeiros anos de vida.

É comum surgir na fase de transição do leite materno para o leite de vaca em bebês com menos de 6 meses de idade. Normalmente os sintomas desaparecem ao longo dos anos.

O mais importante é que se você mesma (o) sofrer com algum destes sintomas ou conhecer alguém que esteja passando por este problema procure orientação médica.

Apesar de muito parecidos os sintomas entre a intolerância e a alergia ao leite de vaca o tratamento é feito de forma diferenciada. A intolerância não tem nenhuma relação com o seu sistema imunológico.

Nesta doença alimentos que contenham lactose são excluídos ou consumidos em baixa quantidade. Tudo depende do grau de intolerância.

Já na alergia ao leite de vaca os alimentos que contenham frações da proteína do leite ou todos os alimentos que contenham a proteína são excluídos de forma definitiva do cardápio.

É uma atitude necessária para prevenir o desencadeamento do processo alérgico.

Conheça os 3 tipos de intolerância:

  • Deficiência congênita da enzima: O indivíduo já nasce sem a capacidade de produzir a enzima lactase.

É um tipo de intolerância permanente.

     •  Diminuição enzimática secundária a doenças intestinais:

É mais comum no primeiro ano de vida.

Neste caso a deficiência é temporária devido a uma alteração nas células da mucosa do intestino.

A intolerância melhora conforme as células intestinais se recuperam.

Esta recuperação pode demorar ou não para acontecer, vai depender exclusivamente do organismo de cada um.

     •  Deficiência primária ou ontogenética:

É o tipo de intolerância mais comum.

Com o passar do tempo ocorre uma diminuição natural do organismo na produção de lactase.

Qualquer pessoa está sujeita a desenvolver este tipo de intolerância.

A intolerância e a dieta:

Esta alteração do organismo faz com que haja obrigatoriamente a necessidade de mudança dos hábitos alimentares.

Essa mudança deve ser muito bem orientada por um nutricionista.

Nada de sair por aí mudando o seu cardápio por conta própria!

Isso pode ser ainda mais prejudicial à sua saúde.

Quando você tira os alimentos à base de leite que te trazem tanto incômodo, é necessário fazer a suplementação de cálcio.

Isso só é possível com a ingestão de outros tipos de alimentos saudáveis e que contenham cálcio em quantidade suficiente para suprir as suas necessidades.

Podemos citar como exemplo:

– Vegetais verde-escuros (agrião. Brócolis, couve);

– Peixes de ossos moles (salmão. sardinha, camarão) e outros tipos de alimentos que o nutricionista irá incluir na sua rotina utilizando para isso um cardápio individualizado.

 

Agora que você já conhece um pouco mais sobre a intolerância, preparamos um cardápio especial para quem sofre com este problema.

Se este for o seu caso anote:

   Café da manhã:

– 1 copo de suco de mamão com aveia

– 3 torradas integrais com geleia de frutas

Lanche da manhã:

1 porção de 30 gramas de maçã desidratada

 

Almoço:

– 1 pires de salada de agrião

– 2 colheres (sopa) de arroz integral

– 1 concha de feijão

– 1 filé de salmão ao forno

– 2 colheres (sopa) de brócolis ao vapor

– Sobremesa: 1 fatia de abacaxi.

 

Lanche da tarde:

– 1 copo de suco de couve com limão.

 

Jantar:

– 1 pires de salada de acelga

– 3 colheres (sopa) de macarrão com atum

– Sobremesa: 2 ameixas secas

 

 

Ceia:

– 1 copo de chá de capim cidreira.

Este cardápio é rico em fibras, com alimentos que vão suprir as necessidades de vitaminas e minerais e que vai ajudar a melhorar a digestão dos alimentos.

Como você pode ver existem formas saudáveis de tratar e conviver com a intolerância à lactose.

Se você se identificou com alguns dos sintomas da doença busque o auxílio de um profissional.

O tratamento da doença logo no início fará toda a diferença para uma maior qualidade de vida.

Se estas informações te ajudaram não perca tempo! Compartilhe agora com as amigas (os).

Ah! Não se esqueça de deixar seu comentário aqui.

Dê sugestões, sua opinião é muito importante para trazermos ainda mais novidades!

PROPAGANDA