Tudo Sobre Diabetes

O Que é Insulina e Qual a sua Importância?

O Que é Insulina e Qual a sua Importância?
Gostou! Classifique

Segundo dados de 2016 da OMS, 16 milhões de pessoas sofrem com diabetes. Essa doença está diretamente relacionada com o hormônio já bastante conhecido nosso: a insulina. É o desequilíbrio dela que causa essa doença crônica que causa muitos prejuízos à saúde das pessoas.

Uma das melhores maneiras de evitar essa patologia é conhecendo um pouco mais sobre a atuação da insulina no nosso organismo. Vejamos agora como essa substância se comporta no nosso organismo e qual é a importância dela para nossa saúde.

O que é e qual a função da insulina?

insulina função

Como já foi dito no início desse texto, a insulina é um hormônio e que pode ser produzido de 2 formas: naturalmente pelo pâncreas ou sintetizada em laboratório. Ela tem uma função essencial no nosso organismo ajudando a controlar os níveis de açúcar no nosso sangue além de fornecer glicose para a célula para que realizem a respiração celular e gerem energia para o corpo.

A insulina é uma substância anabólica, ou seja, ela é construtora. Por exemplo, ela é a responsável por levar a glicose – que fica em excesso no sangue – para ser armazenada nas células do tecido adiposo, ou seja, células de gordura. Assim, esse hormônio é um dos principais causadores da odiada gordura localizada.

Mas não é apenas o metabolismo das gorduras e do açúcar que é afetado pela insulina, os aminoácidos, ou seja, as proteínas, também entram nesse grupo. Por exemplo, o glicogênio, que é a principal fonte de energia dos animais, é transportado por ela para ser utilizado pelos músculos. Assim, essa substância é essencial para quem praticar exercícios, especialmente musculação.

Quando um indivíduo encontra-se num valor acima do ideal, há o risco de desenvolver diabetes tipo 2. Caso esteja abaixo, o risco é para a formação do diabetes tipo 1 que costuma apresentar causa genética.

Quais o tipos de insulina?

1. Regular

É um tipo de insulina rápida e de coloração transparente. Depois da sua aplicação, a ação começa em cerca de 30 minutos a 1 hora sendo que, o seu efeito máximo, ocorre de 2 a 3 horas após a aplicação.

2. Intermediária

Também chamada de Insulina NPH, esse tipo possui uma cor leitosa, o que fisicamente a diferencia das demais. Aqui, uma substância conhecida pelo nome de Protamina é colocada na insulina fazendo com que a sua ação demore mais a acontecer. Ela só começa a exercer a sua função de 2 a 4 horas depois e seu efeito máximo fica entre 4 e 10 horas. A sua atividade pode durar até 18 horas.

3. Análogo de insulina

É um tipo que vem sendo desenvolvido nos laboratórios e é fabricada a partir da modificação de determinadas células da insulina sintetizada pelo pâncreas. Um dos seus benefícios é que ela pode exercer tanto ação lenta quanto rápida, aumentando a praticidade de diversos tratamentos.

4. Pré-mistura

Aqui não há apenas um tipo de insulina, mas sim vários! Elas são misturadas em proporções adequadas para um determinado tratamento, por exemplo, pode haver 90% da lenta ou intermediária e 10% da rápida. A proporção de cada tipo depende da resposta do paciente.

Quais os efeitos colaterais da insulina?

O principal efeito colateral que essa substância pode causar é a hipoglicemia – redução de glicose no sangue abaixo do normal. Isso pode provocar náusea, vertigem, sono, fraqueza, aumento da frequência respiratória, entre outros sinais e sintomas. Ela ocorre quando há alguma mudança no tratamento ou na dieta do diabético.

insulina tipos

Outro efeito colateral que pode acontecer é uma reação alérgica. Ela é imediata e provoca coceira, vermelhidão na pele e inchaço no local da aplicação. Esse é um efeito raro de acontecer, mas caso ocorra, o mais indicado é procurar o médico.

Leia Também:

Compartilhe todo esse conhecimento sobre a insulina com seus amigos e conhecidos nas redes sociais e ajude outras pessoas!

Comentários no Facebook

Por gentileza, se deseja alterar o arquivo do rodapé,
entre em contato com o suporte.