Hipotensão: O que é, causas, sintomas e tratamento.

Muito se fala sobre a hipertensão arterial e o quanto ela é perigosa para a nossa saúde. Mas você já parou para pensar sobre a hipotensão arterial? Quais são os seus males e como ela pode nos prejudicar? Suas consequências e o que fazer para tratá-la?

Se você ficou na dúvida ao tentar responder a essas perguntas, então continue a leitura desse texto e descubra mais sobre a hipotensão.

O que é hipotensão?

O que é hipotensão

A hipotensão é um quadro inverso ao da hipertensão, ou seja, é quando a pressão arterial está constantemente baixa. O valor médio normal da pressão arterial é de 120 x 80 mmHg (milímetros de mercúrio), a hipotensão classifica-se por uma pressão inferior a 9 x 6 mmHg.

Mas fique atento porque o fato da sua pressão não ser exatamente 120 x 80 mmHg não significa que há algum problema. Esse é um valor mediano, usado apenas como parâmetro, mas cada indivíduo funciona com uma pressão ótima. Por exemplo, mulheres costumam ter uma pressão média de 110 x 70 mmHg e não são classificadas como hipotensas.

É o tipo de situação que, normalmente não causa muitos sinais e sintomas e, por isso, pode esconder diversos problemas. Afinal de contas, só buscamos ajuda profissional se houver algum sinal ou sintoma no corpo.  Há um público que costuma apresentar a hipotensão com maior frequência: mulheres magras.

O que é pressão diastólica e sistólica?

Para compreender melhor a pressão arterial, precisamos compreender como é o funcionamento do coração. Você já deve ter ouvido em pressão máxima e mínima, sendo que, de acordo com o valor médio da pressão arterial, a máxima seria 120 mmHg e a mínima 80 mmHg. Vamos agora saber um pouco mais sobre elas.

Pressão sistólica ou máxima

É nesse momento que o ventrículo esquerdo se contrai para expulsar a grande quantidade de sangue ali presente através da aorta. É preciso que haja muita força para impulsionar o sangue e assim, esse é o momento onde podemos identificar o maior valor que a nossa pressão sanguínea exerce na parede dos vasos.

Pressão diastólica ou mínima

Já a pressão diastólica acontece quando o ventrículo esquerdo relaxa, algo que acontece imediatamente após a contração máxima. Esse relaxamento ocorre para que mais sangue volte a encher a cavidade e possa ser, novamente, impulsionado para as outras partes do corpo. É justamente nesse momento que temos a pressão média de 80 mmHg.

Quais os tipos de hipotensão?

Há, basicamente, 4 tipos de hipotensão e todos possuem características específicas que, pela situação, podem ser facilmente identificados. Vejamos suas principais variáveis:

Ortostática

Também chamada de postural, esse tipo de hipotensão está diretamente relacionado com a posição do corpo. A pressão baixa pode ser sentida quanto uma pessoa permanece por muito tempo sentado, de pé ou deitado. Quanto mais tempo o sangue fica “parado”, maiores as chances de hipotensão.

Ocorre que, no momento em que há uma mudança brusca de posição, o sangue não consegue se adaptar tão rapidamente e a pressão cai subitamente. Você mesmo já deve ter percebido que quando está deitado e se levanta rapidamente sente uma leve tontura. Isso é um sinal de que os fluidos sanguíneos ainda não conseguiram se organizar.

Severa ligada ao choque

Pelo nome já podemos imaginar que se trata de um tipo grave de hipotensão. Ela acontece quando os órgãos vitais como o coração, pulmão, cérebro e outros não consegue receber a quantidade de sangue adequada e, consequentemente, ficam sem oxigênio. Se não houver tratamento urgente, ela pode levar o indivíduo à morte.

Neural mediada

O público-alvo principal nesses casos são crianças e jovens e acontece quando não há uma boa comunicação entre o coração e o cérebro. Aqui, a pessoa costuma permanecer por muito tempo de pé, o sangue se acumula nos pés e nas pernas e a pressão cai. Isso acontece de forma muito frequente também com os guardas na Inglaterra.

Como os membros inferiores estão cheios de sangue, o cérebro envia uma mensagem para o coração que a pressão está alta e que o ritmo cardíaco pode ser reduzido. O resultado disso é sinais e sintomas como vertigem, tontura, náusea e desmaios. Pode ocorrer também em situações traumatizantes.

Síndrome de Shy-Drager

É uma doença que provoca dados no sistema nervoso central. Dessa forma, todas as funções do corpo se controladas por ele como frequência cardíaca e respiratória, pressão arterial e digestão acabam tendo problemas. Como consequência da síndrome temos uma lentidão dos movimentos musculares, incontinência urinária e a hipotensão.

Qual o tratamento indicado?

Antes de recomendar o tratamento, o médico precisa diagnósticas o tipo de hipotensão que a pessoa apresenta. Porém, de uma forma geral, as recomendações são muito parecidas: adicionar mais sal à dieta, fazer pequenas refeições durante o dia, porém em quantidade, mudar de posição lentamente, não consumir medicamentos que baixa a pressão, usar meias de compressão e ingerir muito líquido.

Leia Também:

 10 Dicas Para Melhorar a Qualidade de Vida.
Desequilíbrio da Glicose: Sintomas e Valores de Referência.

Você tem hipotensão arterial? Conte pra gente como é o seu dia a dia!