Cevada: benefícios, a substituta da sacarose!

De acordo com pesquisas da internet, uma fibra solúvel foi desenvolvida a partir de resíduos da cevada em pó extraída após o processo de produção de cerveja, podendo ser usada para reduzir o teor de sacarose de uma vasta gama de alimentos. Além de hipocalórica, a cevada e seus benefícios são muitos, pois também é capaz de diminuir os níveis de colesterol e reduz o risco de doenças cardiovasculares. Saiba mais!

Cevada x Açúcar: O porquê da substituição

O açúcar é o novo tabaco, e os fabricantes de alimentos – sob pressão de impostos, leis e profissionais de saúde – estão lutando para encontrar um bom substituto. Agora parece que eles já poderão obter o que querem na forma de um pó de fibra solúvel produzido a partir do grão de cevada gasto que sobrou do processo de fabricação de cerveja.

cevada

Este produto, desenvolvido pela EPFL, uma empresa norte americana, pode ser usado para compensar a diferença de peso e de volume entre a sacarose e os adoçantes naturais como stevia, que são muito mais poderosos e, portanto, usados com moderação. Vários grandes produtores de alimentos já manifestaram interesse na cevada em pó.

O que está faltando

Os fabricantes agora dependem do amido como a maltodextrina e a polidextrose para compensar o volume e o peso a fim de substituir o uso da cana-de-açúcar, aderindo à utilização da cevada. Mas esses enchimentos têm uma grande desvantagem: aumentam os níveis de açúcar no sangue. A longo prazo, pode resultar em picos de insulina, que por sua vez pode levar à obesidade, hipertensão ou mesmo diabetes tipo 2.

As fibras solúveis feitas com cevada, formadas por oligossacarídeos conhecidos como beta-glucanos, são produzidas usando um processo que foi desenvolvido na EPFL e aperfeiçoado pela startup. As fibras oferecem duas grandes vantagens: são neutras em sabor e boas para a saúde humana. Vários estudos mostraram que o oligossacarídeo de cevada ajuda a diminuir o colesterol e açúcar no sangue e reduzem o risco de doenças cardiovasculares.

Aumentando o peso do grão de cevada gasto

O processo de transformação da celulose – que é abundante em plantas – em beta-glucano ainda está em seus estágios iniciais, sendo a primeira a ser robusta e eficiente. Isso permitirá que tal produto compita o preço no mercado de alimentos.

O que acontece é que os polissacarídeos da celulose são reduzidos a oligossacarídeos de três ou quatro moléculas. O processo protegido por patente extrai metade do peso do grão de cevada gasto em pó trinta vezes mais rápido do que os procedimentos existentes. O método usado é de uma etapa e usa pouca energia porque requer apenas uma temperatura moderada e pouca pressão.

Cevada benefícios

A cevada, além das propriedades benéficas de suas fibras, também possui um alto teor de celulose. Dependendo do processo de fabricação e da qualidade da planta, a celulose pode representar até 30% do grão gasto no pós-cervejeiro. Além disso, a quantidade de grãos usados ​​está disponível em todo o mundo e está mais concentrada nas grandes cervejarias do mundo.

cevada beneficios

De acordo com estatísticas publicadas pela Organização das Nações Unidas para Agricultura e Alimentação, quase 200 milhões de toneladas de cerveja são produzidas a cada ano, e cerca de 20% disso é na União Europeia. O grão gasto de cevada representa cerca de 20% deste peso. Somente na Suíça, cerca de 80.000 toneladas de grãos usados ​​são produzidos anualmente. O grão gasto já está sendo reciclado na forma de farinhas para humanos e animais. Mas nem de longe tudo está sendo usado.

Fibras super saudáveis

Esta abordagem para investir nos grãos de cevada usados ​​poderia tornar possível aos fabricantes de alimentos eliminar os efeitos adversos do açúcar sem usar aditivos químicos. A questão é que já passou da hora de repensar em como usamos os recursos do nosso planeta.

O pó beta-glucano extraído da cevada também ajuda a manter ou restaurar a saúde do microbioma intestinal humano. Estes beta-glucanos são uma forma de prebiótico que pode melhorar a eficácia das bactérias probióticas presentes em certos tipos de alimentos enriquecidos. A tecnologia pode ser adaptada para extrair prebióticos de uma ampla gama de recursos naturais. Essa novidade está atraindo a atenção de grandes empresas ativas no crescente mercado de prebióticos e microbiomas.

Um processo ecológico com várias saídas

O processo desenvolvido com uso da cevada e seus benefícios pode ser repetido inúmeras vezes sem perda de eficiência, e a biomassa restante ainda contém lignina, proteínas e óleos que também podem ser colhidos e reutilizados. O objetivo não é usar o processo para encontrar maneiras de reaproveitar vários produtos agrícolas, mas fazê-lo da maneira mais eficiente possível.

A técnica permite selecionar os compostos da cevada e liberá-los continuamente ou em lotes. É possível usar a mesma abordagem e extrair outros compostos para alimentos, cosméticos e produtos farmacêuticos e até mesmo na produção de PEF, um material verde que poderia um dia substituir o PET em embalagens de alimentos.